Sábado, 12 de Junho de 2021
61981028469
Geral Pará

Produtores familiares de cacau de Anapu recebem orientações de técnicos da Sedap

O projeto Ateg Mais Cacau, lançado no início do mês, foi apresentado aos agricultores do município.

11/06/2021 15h51
48
Por: Ueliton Mello Fonte: Secom Pará

As orientações sobre abertura de crédito para o fomento da produção e como funcionará o projeto Ateg Mais Cacau, lançado no último dia 1º de junho em Altamira, foram repassadas aos produtores familiares do Assentamento Esperança e da Comunidade da Água Preta, no município de Anapu, localizado na Região de Integração do Xingu, pela Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), durante a programação realizada esta semana na Transamazônica. 

O município integra o polo de maior produção do fruto. Pelo menos 90% do cacau produzido no Pará são oriundos dos municípios localizados na região de Integração do Xingu, entre os quais, Medicilândia, Uruará e Brasil Novo. Atendendo pedido de entidades e produtores locais, a Secretaria junto com um representante do Banco do Brasil, apresentou uma série de informações importantes para tirar dúvidas dos agricultores familiares de Anapu. 

 O secretário adjunto Lucas Vieira esteve representando a Sedap na programação de diálogo com os agricultores, e explicou que o projeto Ateg Mais Cacau iniciou pelo município de Altamira, atendendo 250 produtores e deverá ser extensivo numa próxima etapa aos produtores de Anapu.  Vieira destacou, também, que a Sedap, em parceria com a Prefeitura local – através da Secretaria Municipal de Agricultura -  está efetivando a entrega de mudas e equipamentos para a mecanização da produção. “O objetivo é contribuir para o desenvolvimento da produção local. Sabemos como é importante a assistência técnica para fazer a diferença e isso estará sendo levado aos produtores através desse projeto da Ateg”, frisou. 

O representante da Sedap ressaltou, ainda, que o Pará desponta cada vez mais como o maior produtor de cacau do Brasil, com uma produção mínima de 900 quilos por hectare. “A gente quer avançar e a assistência técnica continuada, que já estamos concretizando com a Ateg, é fundamental”, observou.  Ele explicou que o trabalho será prestado pelos técnicos do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar).“Nós pretendemos que a próxima fase desse projeto seja aqui em Anapu. Os técnicos do Senar irão mensalmente nas propriedades  para conversar com o produtor, levantar o que ele está precisando, quais as dificuldades, ensinar as técnicas de poda e de adubação, o que for preciso para ajudar a aumentar a produção”, enumerou Vieira. 

A importância dos produtores adotarem e investir nos chamados sistemas agroflorestais, que utilizam o fruto como potencial ferramenta de reabilitação de áreas degradadas foi enfatizada pelo secretário durante o encontro com os produtores. “Precisamos ter a consciência de estarmos alinhados ao meio ambiente. O cacau é uma grande ferramenta para o restabelecimento de áreas degradadas.  Por isso, ele se torna cada vez mais importante ao nosso estado”, concluiu o secretário-adjunto. 

Texto: Rose Barbosa/Ascom Sedap 

 

 

Por Valéria Nascimento (SECOM)
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.