Domingo, 16 de Maio de 2021
61981028469
Brasil Brasil

Membros da Secretaria da Cultura realizam dossiê para combater 'esquerdistas'

18/04/2021 16h20
173
Por:
Membros da Secretaria da Cultura realizam dossiê para combater 'esquerdistas'
source
 Integrantes da Secretaria da Cultura realizam dossiê para exonerar 'esquerditas'
Reprodução/Flickr

Integrantes da Secretaria da Cultura realizam dossiê para exonerar 'esquerditas'

Servidores ideológicos que ocupam a Secretaria Especial da Cultura no governo  Jair Bolsonaro (sem partido), comandada por Mário Frias , elaboraram um dossiê em que criticam funcionários "militantes esquerdistas" e enaltecem os 'direitistas'. As informações são da jornalista Camila Mattoso .

De acordo com interlocutores, a secretaria se isolou do governo federal por ser o 'reduto de seguidores de Olavo de Carvalho' e de radicais bolsonaristas que foram perdendo espaço em outros cargos e ministérios.

O documento é chamado de "mapeamento Funarte 2020-2021" e costuma ser enviado por WhatsApp ou email à cupula da secretaria. No dossiê, é possivel observar seis servidores descritos como "militantes esquerdistas", ou do PT, e que por isso deveriam ser exonerados .

Segundo a planilha, uma das colaboradores é "servidora há anos e é militante esquerdista, tirar cargo de gratificação. Faz movimentos na Funarte contra governo. Companheira de Marcos Teixeira [Campos, presidente substituto da Funarte na gestão de Regina Duarte], turma do Humberto Braga [presidente da Funarte no governo Michel Temer (MDB)], levantar açãos contra o governo (sic)".

Você viu?

Andrea Paes Leme, secretária-adjunta da Cultura, foi mencionada no dossiê como um dos alvos da ala ideológica. No documento, tuítes da servidora criticando o segundo turno das eleições de 2018 e declarando apoio a João Amoêdo (Novo) corroboram o argumento de "humilhação para Bolsonaro" tê-la no governo.

"A Secretária Especial Adjunta Andrea Abrão Paes Leme se deu bem: enganou o Secretário Especial Mario Frias e sabendo ser o Bolsonaro Bozo bobo acertou em cheio. Saiu do DNIT e agora manda na Cultura. Que humilhação para um Presidente da República dar o segundo posto no comando da Cultura para quem na boca da eleição e 10 dias antes de ser esfaqueado estava ridicularizando-o como uma opção equivalente ao PT (sic)", relata trecho do dossiê.


Paralelamente, funcionários que se alinham a ideologia do governo são elogiados e dignos de promoção. Um advogado bolsonarista é tido como "jovem conservador ativo". Outro servidor é tido como "secretário da ala conservadora da OAB-RJ, reconhecido jornalista conservador por nomeação".

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.