anucie aqui
Brasil

"Momento exige PRUDÊNCIA", diz governador do Maranhão Flávio Dino

26/03/2020 14h15
Por: A Redação
53
source
Governador do Maranhão Flávio Dino cronavírus arrow-options
Wikimedia Commons/MCTIC
Governador do Maranhão Flávio Dino

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), escreveu em seu Twitter nesta quinta-feira (26) que a atual pandemia de coronavírus é "momento exige PRUDÊNCIA". Na manhã desta quinta, Dino confirmou em coletiva de imprensa que há 10 casos de COVID-19 no estado do Maranhão.

Leia também: Coronavírus no Brasil: acompanhe a situação no País em tempo real

"Só mudaremos algumas medidas restritivas à aglomeração e circulação de pessoas com base em orientações científicas dos profissionais de saúde", explica o governador do Maranhão , que adotou o isolamento social para evitar a transmissão do coronavírus. 

"Estamos observando a curva de novos casos diariamente", disse Flávio Dino. Nesta quinta, mais dois casos de coronavírus foram confirmados no Maranhão. "Qualquer aglomeração agora é estímulo à expansão da pandemia. Ainda estamos na fase do crescimento, a pandemia ainda está se expandindo. A cada novo momento tomaremos as medidas cabíveis seguindo a Organização Mundial da Saúde e todos os protocolos internacionais científicos e médicos", afirmou o governador.

O governador do Maranhão explica que deseja que a situação seja normalizada rapidamente, mas afirmou que é necessário prudência, alfinetando o posicionamento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). "Ele faz uma opção pelo caos. O que nós desejamos é que ele governe", disse Flávio Dino em entrevista à CNN .

Leia também: Profissionais de enfermagem são agredidos a caminho do trabalho em São Paulo

O governador do Maranhão , assim como os outros governadores dos estados do nordeste assinaram nesta quarta-feira (25) uma carta que afirma que este "é um momento de guerra contra uma doença altamente contagiosa e com milhares de vítimas fatais. A decisão prioritária é a de cuidar da vida das pessoas. É um momento de união, de se esquecer diferenças políticas e partidárias. Acirramentos só farão prejudicar a gestão da crise".



* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.