Sexta, 18 de Setembro de 2020 13:26
61981028469
Saúde Saúde

Amapá, Ceará e Rio de Janeiro seguem em alerta de uma segunda onda

07/08/2020 19h05
352
Por: A Redação
.

O Boletim InfoGripe, produzido semanalmente pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e divulgado hoje (7), indica uma possível nova fase de queda leve no número de novos casos semanais de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) no país, após a retomada do crescimento observado em junho. Amapá, Ceará e Rio de Janeiro mantêm o sinal de retomada do crescimento (uma segunda onda). Os dados são da semana epidemiológica 31, entre os dias 26 de julho e 1° de agosto.

O estado do Maranhão teve a possível retomada do crescimento alterada para possível estabilização. Os casos de covid-19 ainda estão muito altos e a capital, São Luís, indica possível retomada do crescimento de casos da doença.  

No Amapá, a capital Macapá apresenta sinal de estabilização do número de casos da doença. Já as capitais Fortaleza e Rio de Janeiro mostram possível retomada do crescimento. O estado do Rio registrou até ontem (6) 13.941 óbitos, sendo que somente na capital são 8.540 mortes de covid-19, desde o início da pandemia no país.

De acordo com o coordenador do InfoGripe, o pesquisador Marcelo Gomes, apesar de sinal de leve queda, os valores semanais de casos e de óbitos (que também continuam em nível acima do muito alto) no país estão muito acima do nível de casos considerado muito alto. "Todas as regiões do apresentam ocorrência de casos muito alta e na zona de risco", avaliou.

Situação no país

Em relação às unidades da federação que apresentavam manutenção do sinal de crescimento ou platô, observou-se possível início de queda em Tocantins, Sergipe, Paraná e em Santa Catarina. Segundo o pesquisador, nesses estados, as capitais Palmas e Florianópolis ainda apresentam sinal de estabilização, enquanto Aracaju e Curitiba apresentam sinal de queda.

Os estados da Bahia, Mato Grosso do Sul, Distrito Federal, Minas Gerais e Rio Grande do Sul apresentaram um possível início de queda nos casos, mas este sinal é ainda considerado fraco. As respectivas capitais, Salvador, Campo Grande e Belo Horizonte apresentam queda, enquanto Porto Alegre mostra estabilização. Brasília ainda registra sinal de crescimento do número de casos da doença.

Marcelo Gomes esclarece que o estado de São Paulo mostra um sinal de possível redução em relação às semanas anteriores, mas o perfil ainda é compatível com a oscilação que vem sendo observada desde maio. A capital paulista apresenta tendência de queda após período de oscilação em novo platô abaixo do pico observado em maio".

Segundo a análise, no Pará, embora se mantenha com sinal de possível estabilização, Belém mostra retomada do crescimento. Nas demais unidades não foram observadas alterações em relação às tendências anteriores.

Macrorregiões

Esta nova edição apresenta também estimativas das macrorregiões de saúde de cada estado e de casos recentes para o país, grandes regiões e capitais. Entre as ocorrências com resultado positivo para os vírus respiratórios, 96,7% dos casos e 99,1% dos óbitos se deram em decorrência do novo coronavirus.

A divulgação das análises para macrorregiões de saúde permite avaliar tanto o processo de interiorização como possíveis diferenças dentro de um mesmo estado. Por exemplo, para o Rio de Janeiro o estudo aponta para uma possível retomada do crescimento aparenta ser reflexo dos casos na macrorregião que inclui a capital. Nas demais, o sinal é de queda ou de estabilização.

Em contrapartida, em Pernambuco, na Macrorregião Metropolitana o sinal é de queda, enquanto nas demais três macrorregiões do estado a tendência ainda é de crescimento, sem ter atingido ainda um pico em nenhuma dessas regiões.

Em São Paulo, há uma variabilidade enorme, observando macrorregiões dando os primeiros sinais de início de queda e outras mantendo sinal de queda por várias semanas consecutivas. Na macrorregião associada à capital, mostra sinais de uma possível estabilização, mas ainda em valores muito elevados e outras com sinais de retomada do crescimento.

A situação nas capitais

Possível queda Aracaju e Rio Branco
Retomada de crescimento Macapá e Maceió
Estabilização Manaus, Palmas e Porto Alegre
Oscilação Belém
Crescimento Porto Velho
Queda, com possível estabilização Boa Vista
Queda Curitiba, João Pessoa, Natal, Salvador, Teresina e Vitória
Estabilização para possível início de queda Belo Horizonte e Florianópolis
Possível retomada de queda São Paulo
Possível retomada de crescimento Fortaleza, Rio de Janeiro e São Luís
Queda lenta Recife

 

Edição: Mario Toledo

Fonte: EBC Saúde
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Brasília - DF
Atualizado às 13h19 - Fonte: Climatempo
32°
Alguma nebulosidade

Mín. 17° Máx. 33°

30° Sensação
7 km/h Vento
23% Umidade do ar
0% (0mm) Chance de chuva
Amanhã (19/09)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 20° Máx. 33°

Sol
Domingo (20/09)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 19° Máx. 34°

Sol